quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

O Elemento água

Sou mais água do que ar... muito mais sentir do que pensar...
Como a água do lago - contida, suave, misteriosa - cujos mistérios só são revelados àqueles que têm a coragem de mergulhar e perceber, além das aparências, a verdadeira essência do ser.
Como a água da chuva - ora suave, ora intensa - saciando a sede, proporcionando a germinação da semente e lavando a alma, num ritual que se repete e parece sempre a primeira vez!
Como a avalanche que varre tudo, permitindo vir à tona o que estava estagnado, levando embora o obsoleto, o apego; fazendo acordar para o novo, o necessário...
Como o rio, sigo sempre, doando e recebendo, contornando obstáculos e, vez por outra, lançando-me no espaço, formando cachoeira, um espetáculo mágico!
Hoje sei que ser uma gota de água é ser parte do Todo, imprescindível, o holograma da vida, do Criador. Essa gota cai, evapora e retorna chuva, que se torna rio, que se junta ao mar...
A água representa a emoção que, sob a orientação da Essência Divina, pode percorrer todos os caminhos e retornar à Fonte Universal. Uma emoção transforma um pensamento em esboço de uma obra, algo que sobrevive no plano sutil e, se alimentada constantemente, transforma-se em realidade.
Que eu seja prá você, hoje, aquela gota de chuva que veio carregada de amor, de gratidão e de alegria...

domingo, 11 de janeiro de 2009

O caminho que percorremos - e que seguramente é o resultado de nossas escolhas - muitas vezes nos leva a repensar nossos passos. Este é um momento especial: estamos participando de mudanças rápidas e inovadoras, cujos personagens nem sempre percebem o papel que desempenham. Alguns, como expectadores, reclamam indignados por sua atual situação. Outros - poucos - utilizam todas as impressões que colhem para analisar seus próprios atos. Quando consigo acalmar meu mental acelerado (em função do hábito), percebo onde são necessárias atitudes novas, diferentes e produtivas. É fácil adquirir um hábito, difícil é deixá-lo. Mas é importante lembrar que somos inteiramente responsáveis por aquilo que criamos - através do pensamento e sentimento estamos, constantemente, criando formas-pensamento que ficarão impregnadas em nosso próprio mundo. Da mesma forma, somos poderosos na medida em que podemos decidir (livre-arbítrio) o que desejamos criar, e usufruir de nossas criações. Segundo o Bem-Amado Mestre Saint Germain: "ninguém é obrigado a plantar porém, aquele que planta é obrigado a colher". Desejo que o nosso tempo seja empregado na criação de paz, alegria, amor, prosperidade... E que todos os humanos aprendam a AMAR!

Caminhando

sábado, 10 de janeiro de 2009